‘Portão para o Inferno’ rotulado como ‘atração natural mais perigosa do mundo’ ainda está em chamas 50 anos depois

por Lucas
0 comentário 76 visualizações

O “Portão do Inferno” no Turcomenistão, um colossal cratera que queima há mais de 50 anos, é considerado a atração natural mais perigosa do mundo. Este espetáculo flamejante, oficialmente conhecido como a Cratera de Gás de Darvaza, é um exemplo impressionante de erro humano e do poder implacável da natureza.

Localizada no Deserto de Karakum, cerca de 260 quilômetros ao norte da capital Ashgabat, esta cratera não é uma simples cavidade. Ela se estende por aproximadamente 70 metros de diâmetro e mergulha 20 metros de profundidade, lembrando uma cena saída de um filme de ficção científica. As chamas, visíveis a quilômetros de distância, dançam e tremulam, lançando um brilho assustador na paisagem ao redor.

Cratera de Darvaza

A origem do “Portão do Inferno” está enraizada em um erro de perfuração soviético em 1971. Geólogos estavam explorando o deserto em busca de depósitos de gás natural quando acidentalmente perfuraram uma enorme caverna subterrânea cheia de gás. O solo sob a plataforma de perfuração desmoronou, deixando uma enorme cratera e liberando grandes quantidades de gás metano no ar. Para evitar a propagação deste gás altamente inflamável, os cientistas decidiram incendiá-lo, esperando que queimasse em algumas semanas. Spoiler: não queimou. Cinco décadas depois, o inferno ainda está em chamas.

Esta queima contínua é devido ao aparentemente interminável suprimento de gás natural alimentando as chamas. O Turcomenistão está situado sobre uma das maiores reservas de gás natural do mundo, e esta cratera mostra o quão abundantes são esses recursos. Apesar de inúmeras tentativas de extinguir o fogo, ele persiste, tornando a Cratera de Gás de Darvaza uma fixação acidental, mas permanente, na paisagem do deserto.

Cratera de Darvaza

Visitar o “Portão do Inferno” não é para os fracos de coração. O calor intenso que emana da cratera torna impossível chegar muito perto. O solo ao redor é instável, aumentando o perigo. No entanto, para os aventureiros e buscadores de adrenalina, este fenômeno natural é uma experiência imperdível. O melhor momento para visitar é à noite, quando as chamas são mais visíveis contra o céu escuro do deserto, criando uma visão verdadeiramente de outro mundo.

Apesar de seu perigo, o “Portão do Inferno” se tornou uma atração turística significativa, atraindo visitantes de todos os cantos do globo. O governo turcomeno, reconhecendo seu potencial como um ímã turístico, fez esforços para promover o local. No entanto, há debates contínuos sobre se devem ou não extinguir o fogo de uma vez por todas devido a preocupações ambientais. A cratera em chamas libera uma quantidade considerável de metano, um gás de efeito estufa potente, na atmosfera, contribuindo para o aquecimento global.

Nos últimos anos, a cratera também chamou a atenção de cientistas e pesquisadores que a veem como um laboratório natural único. Estudar o local oferece insights sobre a combustão de metano e seus impactos, potencialmente contribuindo com dados valiosos para os campos da geologia e ciência ambiental.

Então, se você algum dia se encontrar no Turcomenistão, o “Portão do Inferno” é uma visita obrigatória. Apenas lembre-se, esta é uma maravilha natural que você vai querer admirar a uma distância segura.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.