Novo estudo revela riscos preocupantes para pessoas que têm tatuagens

por Lucas
0 comentário 605 visualizações

Tatuagens: elas não são mais exclusividade de marinheiros e rebeldes. Hoje em dia, todo mundo, desde a avó daquele seu amigo até seu chefe, pode estar exibindo uma arte na pele. Mas, aqui vai uma reviravolta vinda da Universidade de Lund, na Suécia: essas tattoos legais podem estar ligadas a um risco maior de linfoma, um tipo de câncer no sistema linfático.

Um grupo de pesquisadores decidiu investigar o lado obscuro das tatuagens. Eles não estavam apenas brincando com teorias — eles tinham dados. Identificaram pessoas diagnosticadas com linfoma usando registros populacionais e as compararam com um grupo de controle semelhante em idade e sexo, mas que não tinham linfoma. Em seguida, enviaram questionários para descobrir quem tinha tatuagens e quem não tinha.

“Nós recrutamos impressionantes 11.905 participantes para este estudo”, diz Christel Nielsen, a pesquisadora principal. Destes, 2.938 pessoas tinham linfoma, com idades entre 20 e 60 anos. Destes, 1.398 responderam ao questionário. O grupo de controle tinha 4.193 participantes, com 735 deles tatuados. Agora, o ponto crucial: no grupo com linfoma, 21% tinham tatuagens (289 pessoas), enquanto no grupo de controle, 18% eram tatuados (735 pessoas).

Após analisar os números e considerar outros fatores como tabagismo e idade, descobriram que as pessoas tatuadas tinham um risco 21% maior de desenvolver linfoma. Nielsen disse: “O linfoma é raro, então não comecem a remover suas tatuagens ainda. Nossos resultados são a nível de grupo e precisamos de mais estudos para realmente confirmar essas descobertas.”

Os pesquisadores inicialmente pensaram que o tamanho da tatuagem poderia importar — por exemplo, uma tatuagem no corpo inteiro seria mais arriscada do que uma borboleta pequena no ombro. Surpresa: o tamanho não fez diferença. “Ainda não sabemos por quê”, admite Nielsen. “Talvez qualquer tatuagem, grande ou pequena, desencadeie uma inflamação de baixo grau no corpo, o que poderia potencialmente causar câncer. O quadro é mais complexo do que pensávamos.”

A maioria das pessoas se tatua quando é jovem, o que significa que seus corpos lidam com a tinta de tatuagem por décadas. E aqui vai um fato interessante: quando a tinta é injetada na sua pele, seu corpo pensa: “O que é isso?” e seu sistema imunológico entra em ação. Muita da tinta não fica na sua pele — ela viaja para os seus linfonodos. É lá que ela se deposita, e os pesquisadores estão tentando entender o que isso significa para a sua saúde.

Nielsen e sua equipe não vão parar por aqui. Eles estão se preparando para ver se as tatuagens estão ligadas a outros tipos de câncer ou doenças inflamatórias. “As pessoas provavelmente continuarão fazendo tatuagens”, diz Nielsen. “E tudo bem, mas precisamos garantir que é seguro. Se você não está se sentindo bem e acha que pode ser por causa da sua tatuagem, definitivamente procure seu médico.”

Fonte: Universidade de Lund

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.