Qual é a origem do ‘Amaterasu’, o raio cósmico que caiu na Terra

por Lucas
0 comentário 26 visualizações

Em uma descoberta revolucionária que amplia os limites da nossa compreensão do universo, pesquisadores japoneses descobriram um fenômeno cósmico de escala sem precedentes. Apelidada de partícula “Amaterasu”, essa nova descoberta homenageia Amaterasu Ōmikami, a divindade do sol na mitologia japonesa. Com um nível de energia um milhão de vezes maior que o dos aceleradores de partículas mais potentes da Terra, Amaterasu cativou a comunidade científica, oferecendo uma nova janela para os misteriosos raios cósmicos que atravessam nosso universo.

O Poder dos Raios Cósmicos

Os raios cósmicos, consistindo de partículas carregadas altamente energéticas, têm sido há muito tempo um assunto de intrigas e estudos. Originários de fontes galácticas e extragalácticas, esses raios podem alcançar energias superiores a 1,018 volts de elétrons ou um exaeletronvolt (EeV).

Esse imenso poder, um milhão de vezes o dos aceleradores de partículas criados pelo homem, desafia nossa compreensão do cosmos. A partícula Amaterasu, com sua impressionante energia de 244 EeV – equivalente a 2,4 trilhões de vezes a energia de um relâmpago de tempestade convencional na Terra – estabelece um novo marco na pesquisa de raios cósmicos. Sua raridade e poder tornam-na um assunto inestimável para cientistas que exploram as fronteiras da física.

Rastreando as Origens

A descoberta da partícula Amaterasu foi possível graças ao observatório Telescope Array em Utah, uma instalação de ponta dedicada à pesquisa de raios cósmicos. Capturada em 27 de maio de 2021, a partícula parece ter se originado do Vazio Local, uma região enigmática e vazia do espaço perto da Via Láctea. Esta revelação adiciona ao mistério que envolve esses raios cósmicos de ultra-alta energia.

O professor associado Toshihiro Fujii da Osaka Metropolitan University, liderando uma equipe internacional, expressou sua incredulidade inicial na descoberta, citando o nível de energia sem precedentes da partícula Amaterasu. Este achado extraordinário segue a detecção da partícula “Oh-My-God” em 1991, o único outro raio cósmico observado com um nível de energia mais alto.

Apesar de extensas pesquisas, as origens da partícula Amaterasu permanecem um mistério. Nenhum objeto astronômico correspondente à sua trajetória foi identificado, levando a especulações sobre fenômenos astronômicos desconhecidos ou origens físicas novas além do modelo padrão. Esse enigma alimenta a curiosidade dos cientistas e promete abrir caminho para futuros avanços na compreensão do universo.

Implicações e Pesquisa Futura

A descoberta da partícula Amaterasu também levanta questões significativas sobre a própria estrutura do nosso universo. John Matthews, professor de pesquisa na Universidade de Utah, destaca a energia extraordinária dessas partículas, que supera até mesmo a das supernovas. A imunidade das partículas aos campos magnéticos galácticos e extragalácticos aprofunda ainda mais o mistério de suas origens.

Esta descoberta abre uma infinidade de possibilidades, desde defeitos no tecido do espaço-tempo até a colisão de cordas cósmicas. À medida que os cientistas lidam com essas ideias não convencionais, a partícula Amaterasu permanece como um farol, guiando a pesquisa para os reinos desconhecidos da física de alta energia.

O Telescope Array, o instrumento responsável por essa descoberta significativa, representa um ápice do avanço tecnológico no campo de detecção de raios cósmicos. Cobrindo uma área extensa de 700 quilômetros quadrados em Utah, o observatório está programado para mais aprimoramentos, prometendo insights ainda maiores nos mistérios do cosmos.

Fonte: LiveScience

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.