Tornados: uma das forças mais destruidoras da natureza

por Lucas
0 comentário

Um tornado é uma coluna estreita e violentamente rotativa de ar que se estende de uma tempestade até o solo. É desafiador ver um tornado devido à invisibilidade do vento, mas ele se torna visível quando forma um funil de condensação composto por gotas de água, poeira e detritos. Tornados estão entre os fenômenos de tempestade atmosférica mais violentos.

Onde os tornados ocorrem?

Globalmente, tornados não são exclusivos de um único continente; eles ocorrem em várias partes do mundo, incluindo Austrália, Europa, África, Ásia e América do Sul. A Nova Zelândia, por exemplo, registra cerca de 20 tornados anualmente. Notavelmente, fora dos Estados Unidos, duas regiões com altas concentrações de tornados são Argentina e Bangladesh.

Nos Estados Unidos, aproximadamente 1.200 tornados são relatados a cada ano, segundo o NOAA. No entanto, esse número pode não representar com precisão a ocorrência média anual. Os registros de tornados datam apenas de 1950, e os métodos de detecção e relato de tornados evoluíram significativamente ao longo das décadas. Esses avanços na detecção e relato levaram a um aumento no número de tornados observados.

O termo “Tornado Alley” refere-se a uma região no centro dos Estados Unidos conhecida por uma ocorrência relativamente alta de tornados. Este termo, cunhado pela mídia, não tem uma definição geográfica precisa, pois a ocorrência de tornados pode ser medida de várias maneiras, como contando todos os tornados, considerando apenas tornados fortes e violentos, ou usando diferentes conjuntos de dados e períodos de tempo. É importante notar que o conceito de Tornado Alley pode ser um tanto enganador. A ameaça de tornados nos EUA muda geograficamente ao longo do ano: ela se move do Sudeste durante os meses mais frios para as planícies do sul e central em maio e junho, e depois para as planícies do norte e meio-oeste no início do verão. Tornados foram relatados em todos os cinquenta estados, e tornados violentos podem ocorrer fora do chamado Tornado Alley.

A temporada de pico de tornados varia por região nos EUA. Para as planícies do sul, incluindo Texas, Oklahoma e Kansas, o pico é de maio a início de junho. A costa do Golfo vivencia sua temporada de tornados mais cedo na primavera, enquanto as planícies do norte e o alto meio-oeste, abrangendo Dakota do Norte e do Sul, Nebraska, Iowa e Minnesota, têm sua temporada de tornados em junho ou julho. No entanto, tornados podem ocorrer a qualquer momento do ano e a qualquer hora, embora a maioria seja relatada entre 16h e 21h.

Tornado

Medindo a força dos tornados

A força dos tornados é avaliada usando a Escala Fujita Melhorada (EF-Scale), implementada pelo National Weather Service em 2007. Esta escala é mais precisa e consistente do que a original Escala Fujita (F-Scale). A EF-Scale considera uma gama mais ampla de variáveis, incluindo 28 indicadores de danos, como o tipo de edifícios, estruturas e árvores, e o grau de dano, variando do início de danos visíveis até a destruição completa. A F-Scale original não levava em conta esses detalhes. No entanto, os dados históricos baseados na F-Scale permanecem inalterados. Por exemplo, um tornado anteriormente classificado como F5 ainda é um F5, embora as velocidades do vento associadas possam ter sido superestimadas. Uma correlação foi desenvolvida entre a F-Scale e a EF-Scale para manter a consistência no banco de dados histórico.

Classificação EF Velocidade do Vento Estimada (km/h) Danos Típicos
EF0 105-137 Danos leves: Algum dano a telhados, chaminés, árvores, galhos e placas de sinalização.
EF1 138-177 Danos moderados: Telhados arrancados de casas; móveis externos deslocados; pequenas árvores arrancadas.
EF2 178-217 Danos consideráveis: Telhados arrancados, portas e janelas destruídas; carros levantados do solo.
EF3 219-266 Danos severos: Paredes exteriores e telhados completamente destruídos; carros arremessados; florestas e terras agrícolas devastadas.
EF4 267-322 Danos devastadores: Casas e edifícios bem construídos totalmente destruídos; carros arremessados a grandes distâncias.
EF5 >322 Danos incríveis: Casas levantadas das fundações e desintegradas; automóveis arremessados a distâncias de mais de 100 metros; árvores descascadas e debulhadas.

Como os tornados se formam?

O processo exato de formação de tornados não é totalmente compreendido. Os tornados mais destrutivos frequentemente se desenvolvem a partir de supercélulas, que são tempestades rotativas com uma circulação de radar bem definida chamada mesociclone. Supercélulas também podem produzir outros fenômenos climáticos severos, como granizo danoso, ventos não tornádicos severos, raios frequentes e inundações repentinas.

Teorias e estudos, incluindo aqueles do programa VORTEX2, sugerem que o desenvolvimento de tornados dentro de um mesociclone é influenciado por diferenças de temperatura na borda do ar de corrente descendente. No entanto, esta não é uma regra universal, pois a formação de tornados foi observada com pouca variação de temperatura, notavelmente durante alguns dos tornados mais destrutivos em 3 de maio de 1999. Portanto, mais pesquisas e compreensão são necessárias nesta área.

Observadores de tempestades desempenham um papel vital na detecção de tornados e na segurança. Ao identificar um tornado ou uma tempestade perigosa, eles procuram por características específicas. Bandas de influxo são uma dessas características, caracterizadas como bandas irregulares de nuvens cumulus baixas se estendendo da torre principal da tempestade, geralmente para o sudeste ou sul. A presença dessas bandas indica que a tempestade está atraindo ar de baixo nível de uma distância considerável. Se essas bandas parecem espiralar, sugere rotação dentro da tempestade.

Tornados

Outra característica significativa é a cauda do castor, uma banda de nuvem lisa e plana que se estende da borda leste da base livre de chuva, muitas vezes contornando a borda sul da área de precipitação. Essa formação também indica rotação.

A nuvem de parede é um rebaixamento isolado de nuvens anexado à base livre de chuva da tempestade, geralmente localizado na parte traseira da área de precipitação visível. Uma nuvem de parede que pode produzir um tornado pode existir por 10 a 20 minutos antes de um tornado aparecer, embora isso nem sempre seja o caso. Sinais de uma nuvem de parede produtora de tornados incluem rotação persistente, ventos de superfície fortes fluindo para dentro dela e movimento vertical rápido indicado por pequenos elementos de nuvens subindo rapidamente para a base livre de chuva.

A intensificação da tempestade leva à atração de ar de baixo nível de várias milhas ao redor pelo updraft. Parte desse ar é puxado da área de chuva, e como esse ar resfriado pela chuva é muito úmido, a umidade condensa rapidamente abaixo da base livre de chuva para formar a nuvem de parede.

O downdraft de flanco traseiro (RFD) é outro aspecto crítico na formação de tornados. É uma corrente de ar descendente no lado de trás da tempestade que desce junto com o tornado. O RFD é visível como uma “faixa clara” ou “faixa brilhante” logo ao sudoeste da nuvem de parede. Muitas vezes, parece cortinas de chuva envolvendo a circulação da base da nuvem. O RFD causa ventos de superfície com rajadas e, ocasionalmente, microburst embutidos. Este downdraft desempenha um papel na criação do recurso de eco de gancho no radar.

Um funil de condensação, composto por gotas de água, se estende para baixo a partir da base da tempestade. Se ele faz contato com o solo, é classificado como um tornado; caso contrário, permanece como uma nuvem de funil. A presença de poeira e detritos sob o funil de condensação confirma a existência de um tornado.

Entender essas características e suas implicações é importantes para observadores de tempestades e meteorologistas na identificação e resposta a tornados potenciais. Esse conhecimento não apenas contribui para o entendimento científico desses eventos climáticos severos, mas também desempenha um papel vital na segurança pública e nos esforços de preparação. À medida que a pesquisa e a tecnologia continuam avançando, nossa compreensão dos tornados e nossa capacidade de prever e responder a eles também melhorará, potencialmente salvando vidas e mitigando danos à propriedade em áreas propensas a tornados.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.