Missão sul-coreana revela novas informações sobre o lado escuro da Lua

por Lucas
0 comentário 38 visualizações

A primeira missão lunar da Coreia do Sul, Danuri, tem fornecido percepções significativas sobre o lado oculto da Lua desde seu lançamento em agosto de 2022. Esta missão, iniciada pelo Korea Pathfinder Lunar Orbiter, marcou a primeira incursão da Coreia do Sul na exploração espacial. Suas descobertas foram discutidas em um encontro de cientistas na União Geofísica Americana em São Francisco, Estados Unidos.

Um componente chave do Danuri é uma câmera da NASA, que está focada em capturar imagens das crateras lunares perto dos polos. Essas áreas são particularmente intrigantes porque não são diretamente expostas aos raios solares. Imagens iniciais indicaram que algumas dessas crateras podem não ser tão grandes quanto se pensava anteriormente. Emerson Speyerer, um cientista planetário da Universidade da Califórnia, sugeriu na revista Nature a importância de considerar a geografia geral da Lua antes de tirar conclusões definitivas.

Outros resultados intrigantes foram obtidos a partir de medições por outros dois satélites a bordo do Danuri. Essas descobertas sugerem que o lado oculto da Lua pode exibir maior condutividade elétrica comparado ao lado visível. Ian Garrick-Bethell, outro cientista planetário da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, expressou sua surpresa com isso na revista Nature. Maior condutividade poderia implicar um interior mais quente ou a presença de água, o que parece contraintuitivo para o lado oculto da Lua.

No entanto, a missão enfrentou alguns desafios. Especificamente, duas câmeras projetadas para observar a superfície lunar com luz polarizada estão funcionando em um ritmo mais lento do que o esperado. Além disso, o processamento das imagens capturadas por esses instrumentos provou ser complexo para os pesquisadores.

Apesar desses desafios, a equipe da missão permanece positiva sobre as realizações do Danuri. Notavelmente, a espaçonave superou sua expectativa de vida operacional. Os cientistas agora aguardam com expectativa seu desempenho durante o eclipse solar programado para março de 2025. O período pós-eclipse será crucial para avaliar se o Danuri permanece funcional e determinar a possível extensão de sua missão.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.