NASA finalmente consegue acessar a amostra histórica do asteróide Bennu

por Lucas
0 comentário 1,2K visualizações

A missão OSIRIS-REx, um empreendimento histórico da NASA, marcou a primeira vez que os Estados Unidos retornaram uma amostra de um asteroide. A missão enfrentou um desafio significativo para recuperar a amostra completa do asteroide Bennu. Desde setembro, os técnicos lutaram para abrir completamente o recipiente devido a dois fechos na cabeça do coletor que não puderam ser removidos com as ferramentas existentes. O processo de abertura do recipiente exigiu extremo cuidado para evitar a contaminação da preciosa amostra do asteroide, adicionando complexidade à tarefa.

Eileen Stansbery, chefe da divisão de Pesquisa e Exploração de Astromateriais (ARES) no Centro Espacial Johnson da NASA, destacou os esforços da equipe para superar esse obstáculo. “Nossos engenheiros e cientistas trabalharam incansavelmente nos bastidores por meses para não apenas processar os mais de 70 gramas de material que conseguimos acessar anteriormente, mas também projetar, desenvolver e testar novas ferramentas que nos permitiram superar este obstáculo”, disse ela.

As novas ferramentas projetadas para esta tarefa foram feitas de um tipo específico de aço inoxidável cirúrgico e não magnético. Esse material foi escolhido porque é o metal mais duro aprovado para uso nas caixas de luvas de curadoria prístina, que são cruciais para manter a integridade da amostra. Antes de serem usadas no recipiente de amostra real, essas ferramentas passaram por testes rigorosos em um laboratório de ensaio.

A Dra. Nicole Lunning, curadora da OSIRIS-REx no Johnson, discutiu os desafios enfrentados no projeto dessas ferramentas. “Além do desafio de design de ser limitado a materiais aprovados para curadoria para proteger o valor científico da amostra do asteroide, essas novas ferramentas também precisavam funcionar dentro do espaço limitado da caixa de luvas, limitando sua altura, peso e movimento do arco potencial”, explicou ela.

A equipe removeu com sucesso aproximadamente 70,3 gramas de material do asteroide Bennu usando as ferramentas recém-desenvolvidas. Esta quantidade sozinha superou as metas iniciais da missão. A maior parte da amostra, anteriormente escondida atrás dos fechos, espera-se que ofereça ainda mais valor científico.

O asteroide Bennu, alvo da missão OSIRIS-REx, possui significativa importância no estudo do sistema solar primitivo. É conhecido como o asteroide mais perigoso conhecido devido ao seu risco potencial de impacto na Terra. Bennu é uma rocha espacial primitiva, em grande parte inalterada por bilhões de anos, tornando-se uma fonte valiosa para entender as condições e materiais presentes durante a formação dos planetas há aproximadamente 4,5 bilhões de anos.

Uma parte da amostra de Bennu já está em exibição para o público, permitindo que um público mais amplo se conecte com essa conquista científica revolucionária.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.