Por que os raios no mar não matam os peixes?

por Lucas
1 comentário 6,1K visualizações

O raio, um fenômeno natural fascinante, mas potencialmente perigoso, frequentemente suscita questões sobre seu impacto na vida marinha, especialmente durante tempestades.

Apesar dos mares cobrirem aproximadamente três quartos da superfície da Terra, a maioria dos raios é observada em terra. Consequentemente, a probabilidade de um raio atingir uma pessoa no mar é relativamente baixa. No entanto, isso não elimina a possibilidade. Embora a probabilidade seja baixa, o risco ainda existe, tornando aconselhável evitar nadar durante tempestades com trovões.

O comportamento da eletricidade na água é central para entender por que os peixes têm menos chances de serem prejudicados por raios. A salinidade da água do mar desempenha um papel crucial na forma como a eletricidade se dispersa nela. Quando um raio atinge o mar, a descarga elétrica tende a se espalhar pela superfície da água. A salinidade auxilia nessa dispersão, mas a eletricidade não penetra profundamente na água. Isso significa que organismos nadando ou flutuando perto da superfície são mais suscetíveis a choques elétricos de raios.

A maioria dos peixes, no entanto, normalmente nada em profundidades que lhes oferecem um certo grau de proteção contra descargas elétricas superficiais, segundo o Tiempo. Esse comportamento reduz significativamente o risco de serem afetados por raios. Portanto, embora seja possível que os peixes sejam mortos por raios, é um evento raro devido às profundidades usuais de natação deles.

A segurança dos humanos no mar durante uma tempestade também é uma questão preocupante. Pesquisas da Universidade de Tecnologia de Bialystok, na Polônia, lançam luz sobre essa questão. O estudo sugere que a distância segura para uma pessoa nadando no mar de um raio é de cerca de 30 metros. Além desta distância, o risco diminui consideravelmente. O estudo também indica que a área potencialmente afetada por um único raio no mar pode cobrir aproximadamente 2.800 metros quadrados.

A potência dos raios é outro aspecto a considerar. De acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), um raio típico pode descarregar até 300 milhões de volts e 30.000 amperes. Uma descarga tão imensa é mais do que suficiente para ser fatal para um humano.

A distribuição geográfica de raios e sua ocorrência também apresenta um padrão interessante. Raios em praias são mais comuns durante os meses de verão, correlacionando-se com o número aumentado de pessoas presentes.

Em rios e piscinas, o cenário difere ligeiramente devido aos níveis de salinidade mais baixos em comparação com o mar aberto. A salinidade reduzida significa que a eletricidade de um raio não se dispersa tão efetivamente. Mesmo assim, o conselho permanece: evite entrar em qualquer corpo de água quando está chovendo.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

1 comentário

Jobeni 17/02/2024 - 18:34

Achei legal obrigado pelo ensinamento

Comentar