Por que você vê menos insetos nos pára-brisas dos carros hoje em dia

por Lucas
0 comentário 160 visualizações

Lembra das viagens de carro no verão, quando o para-brisa do seu carro virava um cemitério de insetos? Pois é, isso não acontece tanto mais. Acontece que há uma queda significativa no número de insetos espatifados nos nossos para-brisas, e não é só sua imaginação. Os ecologistas também notaram isso e estão chamando de sinal de um “apocalipse dos insetos”.

A Kent Wildlife Trust no Reino Unido fez uma pesquisa e descobriu que os para-brisas dos carros tinham 50% menos insetos espatifados em comparação com 15 anos atrás. Eles analisaram mais de 650 viagens de carro ao redor de Kent entre junho e agosto de 2019. Os motoristas relataram quantos insetos acabaram na placa de seus carros. Comparado a uma pesquisa semelhante feita pela Royal Society for the Protection of Birds em 2004, o número médio de insetos por milha caiu de 0,2 para 0,1.

Alguns se perguntaram se essa queda era porque os carros modernos são mais aerodinâmicos, desviando dos insetos. Para descobrir isso, eles recrutaram donos de carros clássicos para participar da pesquisa. Mesmo esses carros antigos mostraram uma queda significativa nos insetos espatifados. Então, não é só sobre o design dos carros novos.

Isso não é apenas uma coisa do Reino Unido. Desde o início dos anos 2000, as pessoas em todos os lugares notaram menos insetos batendo nos para-brisas. Pesquisadores dinamarqueses em 2019 usaram o mesmo método do para-brisa e encontraram reduções de 80 a 97%. Um estudo de 2018 na Floresta Nacional de El Yunque em Porto Rico mostrou que a biomassa de insetos caiu de 10 a 60 vezes desde os anos 1970. Isso é uma mudança enorme.

Por que nossos amigos de seis patas estão desaparecendo? Os ecologistas culpam vários fatores: mudança climática, abuso de pesticidas, destruição de habitats e doenças. Alguns cientistas pedem cautela, dizendo que precisamos de mais dados rigorosos antes de declarar um “apocalipse dos insetos”. Eles sugerem que a queda pode refletir a mudança de habitat dos insetos para longe das áreas humanas, em vez de uma queda global na população. Mas, seja global ou local, qualquer declínio de insetos é preocupante.

Aqui está o motivo para você se importar: mais de um terço das culturas alimentares do mundo dependem de polinizadores animais. Uma a cada três mordidas de frutas e vegetais existe graças a insetos como borboletas, mariposas, besouros e abelhas. Se esses polinizadores desaparecerem, uma parte significativa do nosso suprimento de alimentos também desaparece.

Imagine um mundo sem morangos, maçãs ou até mesmo café. Não se trata apenas de perder nossos lanches favoritos; trata-se de perder ecossistemas inteiros. Os insetos desempenham papéis críticos na polinização, decomposição e como fonte de alimento para outros animais. Seu declínio poderia desencadear um efeito dominó, impactando aves, mamíferos e, eventualmente, humanos.

Enquanto os cientistas debatem a extensão e as causas do declínio dos insetos, as evidências são claras: há menos insetos por aí. Seja menos insetos espatifados nos nossos para-brisas ou quedas dramáticas na biomassa de insetos, algo está acontecendo. E é algo que afeta todos nós, desde a comida que comemos até o mundo natural que apreciamos.

Então, da próxima vez que você dirigir pelo campo e seu para-brisa permanecer limpo, lembre-se: não é apenas sorte. É um sinal de um problema maior ao nosso redor, um que precisa de atenção antes que seja tarde demais.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.