Terra recebeu uma mensagem a laser de 16 milhões de km de distância

por Lucas
0 comentário 106 visualizações

Em um feito inédito, a nave espacial Psyche da NASA, parte de um experimento de espaço profundo, enviou com sucesso uma mensagem para a Terra usando tecnologia a laser, ultrapassando a órbita da Lua. Este marco histórico na comunicação espacial tem o potencial de revolucionar a forma como as espaçonaves transmitem informações em grandes distâncias.

O projeto Comunicações Ópticas no Espaço Profundo (DSOC), equipado com um laser de infravermelho próximo, realizou essa proeza notável a aproximadamente 16 milhões de quilômetros de distância, cerca de 40 vezes a distância entre a Terra e a Lua. Utilizando o Telescópio Hale no Observatório Palomar do Caltech na Califórnia, este sucesso representa a demonstração mais distante de comunicação óptica até hoje.

Transformando a Transmissão de Dados Interestelares

O DSOC, parte essencial da missão Psyche rumo ao asteroide de mesmo nome, alcançou seu “primeiro luz” em 14 de novembro. Esse marco foi facilitado por uma operação precisa, permitindo que o transceptor a laser se fixasse em um farol a laser no Observatório de Table Mountain do JPL. O sucesso dessa empreitada é um passo crucial para comunicações de alta taxa de dados, essenciais para futuras explorações do espaço profundo, incluindo missões humanas a Marte. Trudy Kortes, diretora de Demonstrações de Tecnologia na sede da NASA, destacou a importância desse avanço no suporte à transmissão de dados de alta definição, incluindo imagens e vídeos em streaming.

As comunicações ópticas, embora previamente utilizadas na órbita terrestre, agora estabeleceram um novo recorde de distância com esta última demonstração. A comunicação a laser, que envolve a transmissão de dados por meio de ondas de luz, permite a transmissão de grandes volumes de dados em alta velocidade. Este método é notavelmente mais eficiente do que as comunicações tradicionais por ondas de rádio, oferecendo taxas de transmissão 10-100 vezes maiores. Esse salto tecnológico abre caminho para instrumentos científicos mais sofisticados em missões futuras e capacidades de comunicação mais rápidas, como transmissões ao vivo de outros planetas.

Navegando por Desafios e Olhando para o Futuro

Apesar de sua natureza inovadora, a comunicação óptica em longas distâncias apresenta desafios únicos. A precisão necessária para direcionar feixes de laser por essas vastas extensões é imensa, e o enfraquecimento do sinal de fótons pode resultar em atrasos significativos na comunicação. Durante o teste de 14 de novembro, os fótons levaram aproximadamente 50 segundos para viajar de Psyche para a Terra. Conforme Psyche avança, esse tempo de atraso pode se estender para cerca de 20 minutos, exigindo ajustes contínuos no objetivo dos lasers devido ao movimento da Terra e da espaçonave.

No entanto, o sucesso deste teste, que envolveu uma integração abrangente de sistemas terrestres e de voo, marca um passo significativo na tecnologia de comunicação espacial. Como observado por Meera Srinivasan, líder de operações para o DSOC no JPL, e Abi Biswas, tecnólogo do projeto DSOC no JPL, essa troca bem-sucedida de “pedaços de luz” do espaço profundo não é apenas uma conquista formidável, mas também um vislumbre do futuro da comunicação interestelar.

Fonte: NASA

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.